Dionísio Aguado

  Home Acima O Violão em São Paulo Violão Mandrião

 

Dionísio Aguado nasceu em Madri, Espanha, em 8 de abril de 1784. Aos oito anos
de idade estudava Filosofia, Latim e Francês, com tão aproveitamento que seu
pai - com a intenção de fazê-lo descansar de seus estudos - mandou-o estudar
com Miguel Garcia, religioso de Cister, mais conhecido como Padre Basílio.
Em 1825 foi a Paris onde foi aplaudido como um dos maiores violonistas do seu
tempo; publicou com grande sucesso seu método  (traduzido para o francês) e 
encontrou-se com Fernando Sor, de quem se tornou amigo. Conheceu também músicos
como Rossini, Bellini e Paganini.
Sua obra de maior valor, "Escuela de la Guitarra" foi publicada pela primeira
vez em Madri no ano de 1820. É o primeiro método completo ara o violão de 6
cordas. Muitos dos conceitos contidos e analisados no livro são usados até hoje
como a diferença de timbre entre a mesma nota produzida em cordas diferentes.
Fala-se também nos harmônicos oitavados, cuja técnica Aguado declara ter sido
inventada por seu amigo François de Fossa.
Também foi o introdutor do uso do "banquinho" para apoio do pé esquerdo.
É o autor de outra invenção, o "tripodison" ou "Máquina de Aguado" que
constava basicamente de um suporte com três pés como o nos indica, dotado de dois
braços de metal e seguravam firmemente o violão, com o propósito de livrá-lo do
contato com o corpo do executante. Outra invenção de Aguado foi o cavalete tal
como conhecemos hoje. Preconiza também um sistema até então inédito de ferir
as cordas com polpa e unha: o dedo puxa a corda com a polpa, fazendo-a
resvalar pela unha e depois descansa  na corda inferior.
Dionísio Aguado faleceu em Madri no dia 20 de dezembro de 1849.
 
 

Google

Web

www.violaomandriao.mus.br